Pizza: vilã ou aliada das dietas?



Data da postagem: 10/07/2018

 

Em 10 de julho de 1889 a rainha Margherita e o Rei Umberto I provaram a pizza pela primeira vez e o recheio remetiam às cores da bandeira Italiana: mussarela (branco), tomate (vermelho) e manjericão (verde) dando origem a pizza Margherita e marcando a data como o dia da Pizza!

 

Por Roberta Lima

Considerada um dos alimentos mais ingeridos no mundo, será que cabe em um planejamento de praticantes de corridas?

Vamos começar falando da composição da Pizza: a massa tradicional é feita de trigo, que é uma fonte de carboidratos – combustível principal para atividades como corrida, então, poderia ser útil em treinos e provas para aqueles atletas que não possuem nenhum tipo de intolerância a glúten.

Mas e o recheio? Na verdade, o que vai definir se o corredor poderá, ou não, consumi-la é exatamente a composição do recheio da pizza.

Pizzas com recheios muito gordurosos como a de quatro queijos, calabresa, pepperoni, parma, catupiry e pizzas doces devem ser evitadas, porém, pizzas com ingredientes mais simples podem ser consumidas em um planejamento alimentar saudável sim, principalmente na fase de treinos de maior volume.

 

Então, quais ingredientes poderiam ser colocados para rechear a pizza?

 

· Tomate – sempre utilizar tomates naturais, que são ricos em vitaminas e minerais, auxiliando na saúde da pele, visão e sistema nervoso. Ainda licpoeno, que é um excelente antioxidante;

· Queijos magros (Mussarela light, mussarela de búfala, ricota, cottage) – Fontes de proteínas, auxiliando na recuperação das fibras musculares;

· Cebola – rica em antioxidantes, minerais e Vitaminas C e do complexo. Ação antioxidante e anti-inflamatória;

· Temperos (manjericão, alecrim, orégano e etc) – Além de conferirem sabores, tem propriedades anti-inflamatórias, digestivas e diuréticas;

· Cogumelos (Shitake, Shimeji, Paris e Porcini) – são fontes de proteínas vegetais e ricos em fósforo, vitaminas do complexo B, ácido fólico e fibras;

· Proteínas magras (Ovo, frango desfiado, atum) – Auxiliam na recuperação de fibras musculares;

· Berinjela – Fortalece os ossos, prevenindo a osteoporose, melhora função cognitiva e a saúde cardiovascular;

· Alcachofra – Possui vitaminas A e B, minerais como magnésio, potássio, sódio e ferro e flavonoides que previnem alguns tipos de câncer. Tem ação Anti esclerótica e auxilia na redução da retenção de líquidos;

· Abobrinha – Fonte de vitamina A e do complexo B, minerais como potássio, fósforo, cálcio e magnésio. Tem ação vermífuga.

 

 

Carioca e praticante de corridas de rua, Roberta Lima é a nutricionista da seleção olímpica de judô desde 2003. Esteve na comissão técnica nos Jogos de Pequim-2008, Londres-2012 e Rio-2016. Tem vasta experiência com o esporte de alto rendimento e, por isso, foi convidada para integrar o Time de Especialistas da Maratona do Rio.


PATROCÍNIO MASTER:

PATROCÍNIO OFICIAL:



TRANSMISSÃO OFICIAL: