Josvaldo Gusmão



Data da postagem: 08/08/2018

 

Tudo começou em 2015!
Iniciei numa prova de 5k, evolui pra 10k, 15k e naturalmente veio os 21k. Em 2017 decidi correr uma meia maratona, escolhi o Rio de Janeiro, percurso lindo e único. Nessa época já participava de um grupo de corrida “Loucos por corrida”, o nome já diz tudo hein rs. Treinamos juntos, cumprimos planilhas, e desembarcamos na cidade maravilhosa prontos pra encarar esses 21k, com objetivos definidos conseguimos ser sub2h, melhor conseguir concluir meus 21k em 1h59, resultado que me deixou muito feliz e seguro, então juntos decidimos que em 2018 voltaríamos para fazer a tão desafiadora MARATONA.

Fizemos uma preparação de 05 meses, tudo foi bem panejado, treinos de corrida, fortalecimento, alimentação, fisioterapia, pois aprendi que, quando você se propõe a fazer algo, que faça bem feito, então disciplina, foco, dedicação são essenciais para sucesso de qualquer projeto.

O grande dia chegou, em 03 de junho desse ano tivemos a oportunidade de nos tornar MARATONISTA. Foi o dia que atravessamos literalmente todo o Rio, largamos em Pontal do Tim Maia, clima favorável, físico e mente estavam alinhados, tudo perfeito.

Mas como na vida é na corrida, nem tudo acontece como queremos ou planejamos. A maratona é uma caixa de surpresas, no km 15, câimbras e dores no ombro, surgiram para atrapalhar meu projeto, era hora da mente começar a trabalhar, fui ate o km 21 com o pensamento de buscar meu objetivo no sub4h, mas vi que não seria mais possível, nesse momento tomei a decisão de concluir os 42k, e fui curtir da melhor maneira possível cada km dali pra frente, nada me faria DESISTIR.

Naquele momento já tinha deixado pra tras 21k, mas dizia assim pra mim “NÃO VI ATE AQUI PRA DESISTIR AGORA” ‘TUDO POSSO EM DEUS QUE ME FORTALECE” e assim seguimos rumo aos 42k. Esses 21k restantes foram os km mais incríveis da minha vida, tudo passava na minha mente, menos a vontade de desistir. Todo tipo sentimento eu passei: Eu ria, eu chorava, eu me emocionava, e me contorcia de dores, mas pensava nos 5 meses de preparação, em tudo que abdiquei pra estar ali, e já me imaginava chegando no pórtico de chegada e cada km concluído eu agradecia a Deus.

Teve um momento que lembrei das historias de amigos, e de leituras que tinha feito sobre passar por Copacabana, eles falavam em seus relatos que deveríamos aproveitar nossa passagem por la, pois ali a energia que íamos encontrar em Copa, era essa energia que nos levariam ate a conclusão dos 42k. Quando cheguei no km 35 aproveitei toda aquela energia que crianças, idosos, homens e mulheres transferiam pra nós, todo aquele carinho e incentivo, me fez mais confiante que iria concluir nosso projeto.

No km 38 quando achei que nada fosse mais acontecer, surgiram as bolhas nos pes, e quem disse que ia desistir, tirei o tênis(foto acima) e mais uma vez na garra e na raça corri descalço ate a linha de chegada.

Assim fiz a prova toda no sacrifício, lutei muito. NO PAIN NO GAIN é uma expressão usada que afirma que SEM DOR E SACRIFÍCIOS, ninguém consegue alcançar vitorias. Apesar de tudo isso que passei posso afirmar que fiquei mais forte, passei a acreditar que nada é impossível quando você acredita. Nunca deixe que destruam seus sonhos, projetos… hoje posso contar essa historia, amanha pode ser você.

Feliz e realizado por ter vivido essa historia de superação de uma MARATONA.
MARATONA é uma prova de resistência, paciência, dedicação, mas também muita alma e coração.
Que venha 2019, me aguarde MARATONA DO RIO!

 

 

UMA AMIZADE QUE A CORRIDA ME DEU DE PRESENTE!

LOUCOS POR CORRIDA!

O RIO CONTINUA LINDO!

A DOR É TEMPORÁRIA, MAS DESISTIR É PARA SEMPRE! EU NÃO DESISTO NUNCA!

EU AMO CORRER!


PATROCINADORES OFICIAIS:



PARCEIRO DE MÍDIA:

TRANSMISSÃO OFICIAL: